Pular para o conteúdo principal

Cão de Apoio





 Quem pode ter um cão de apoio emocional? E outros animais?


Geralmente o Cão de Apoio Emocional é indicado para pessoas com transtornos emocionais e/ou psiquiátricos, como depressão, ansiedade, estresse pós-traumático e autismo. No entanto, qualquer pessoa que necessite de um animal de assistência emocional pode solicitar ao seu médico ou terapeuta que emita o certificado.

Os cães são os animais de assistência mais comuns, mas isso não quer dizer que, necessariamente, outros não possam ser utilizados, como gatos, pássaros, coelhos, tartarugas e cavalos. O mais importante é que o animal tenha com seu tutor um vínculo que proporcione bem-estar e conforto, além de outros benefícios a sua saúde.


                     

      Qual a lei brasileira diz sobre animais de apoio emocional?

Infelizmente, no Brasil, ainda não há uma regulamentação a nível de lei federal que permita a entrada de animais de apoio emocional em locais de uso coletivo. O que existe hoje é a Lei nº 11.126, de 27 de junho de 2005, sobre o cão-guia. A lei garante às pessoas com deficiência visual o direito de se fazer acompanhar do cão de assistência em veículos e estabelecimentos de uso coletivo.

No entanto, existe o Projeto de Lei do Senado n° 411, de 2015, que altera a Lei nº 11.126/2005, ainda em fase de aprovação. A alteração dessa lei tem como objetivo estender aos portadores de outras deficiências o mesmo direito atribuído às pessoas com deficiência visual e seus cães-guia. Se aprovado, pessoas com outras deficiências também poderão ter a companhia de cães de assistência em locais de uso coletivo e em veículos públicos.

A norma a ser aprovada também estabelece que as pessoas acompanhadas de cães de assistência terão preferência pelo assento com maior espaço livre nos transportes públicos. A identificação do cão e a comprovação do treinamento do usuário deverá ser feita por meio de carteira e plaqueta expedidas por entidade ou profissional especializado. São exigidos ainda carteira de vacinação atualizada e equipamentos para o animal, como coleira, guia e arreio com alça. O PLS 411/2015 foi aprovado na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) e segue para análise da Câmara dos Deputados.


Como viajar de avião com animais de apoio emocional?


Como ainda não existe uma regra específica editada pela Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) sobre o assunto, cada companhia tem a liberdade de criar suas próprias regras. No entanto, para viajar em qualquer empresa aérea, é obrigatório fornecer um formulário de informação médica, o MEDIF (preenchido e assinado pelo médico pessoal), e um atestado ou carta de um profissional de saúde mental (identificado pelo número do registro, tipo e estado de emissão da carteira), em que conste o estado de saúde do passageiro. Nesse atestado também deve constar a informação de que o animal é indispensável para o bem-estar emocional do passageiro. O documento deve ter sido emitido no máximo 1 ano antes do voo.



Animais de apoio emocional - O que são e como viajar com eles - Como viajar de avião com animais de apoio emocional?


Como viajar com animal de apoio emocional na LATAM e na GOL?


LATAM, em seu site, informa que é permitido o acesso de animais de apoio emocional na cabine do avião em rotas que reconheçam o conceito de animal de apoio emocional. Os cães são permitidos em voos internacionais com origem ou destino no México ou Colômbia. Já os gatos podem ir em voos internacionais com origem ou destino na Colômbia, devendo ser levados dentro de uma caixa de transporte. Confira todos os detalhes sobre como viajar com um animal de apoio emocional na LATAM em seu site: https://www.latamairlines.com/br/pt/central-ajuda/perguntas/animais-estimacao/assistencia-viagem/apoio-emocional

GOL permite que cães e gatos, a partir dos 6 meses de idade e com até 10 kg (incluindo a caixa de transporte), viagem junto com o tutor na cabine de passageiros, em todas as suas aeronaves. De acordo com o manual fornecido pela empresa aérea, o animal deve permanecer dentro da caixa de transporte durante o embarque, todo o voo e desembarque, sendo aconselhável caminhar com ele antes de entrar na cabine para cansá-lo e, assim, tirar um bom cochilo durante o trajeto. Veja todos os detalhes para viajar com esses animais de assistência no site da GOL.

Se for fazer uma viagem internacional, busque com antecedência todas as informações no site da companhia aérea. E agora que você já sabe o que são e como viajar com animais de apoio emocional, talvez possa se interessar pelo vídeo a seguir no qual explicamos se você pode deixar o gato sozinho ao viajar:
Se gdgeseja ler mais artigos parecidos a Animais de apoio emocional -

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Viajar de avião com seu pet!

               Viagem Maravilhosa com o seu filhinho!          Uma viagem de avião com o seu animal de estimação não é um passeio normal. Ela exige preparação e, por isso, monta uma guia para que você e o seu amiguinho peludo lidem melhor com essa situação que pode ser desgastante para ambos. Cada companhia aérea tem o seu procedimento a respeito de como viajar com cachorro de avião e também outros animais de estimação. Só algumas permitem a viagem de animais de pequeno porte na cabine junto de seus donos, enquanto outros cães maiores permitem na área chamada das aeronaves. A dica principal para não ter nenhum contratempo na hora do embarque é verificar todas as normas da empresa a respeito do transporte de animais, como idade mínima para viajar, documentos, vacinas, vacinas, tamanho da caixa de transporte e do bichinho, limite de animais de estimativa por voo e possíveis taxas adicionais. Tudo isso varia de uma empresa para outra, então sempre busque essas informações antes da reserva

Por que os Cachorros Uivam?

  Saudade :  Assim como os humanos, os cachorros podem sentir falta de seus entes queridos e uivar como forma de demonstrar essa saudade. Esse tipo de uivo costuma ser mais melancólico e pode ocorrer quando o cachorro sente falta do tutor ou de outros animais da casa. Entender o que o seu cachorro está tentando comunicar com seu uivo pode ajudá-lo a melhorar a comunicação e o relacionamento com seu animal de estimação. Aqui estão algumas dicas para entender a linguagem canina do uivo: Preste atenção ao contexto:  O contexto em que o uivo ocorre pode fornecer pistas sobre o que seu cachorro está tentando comunicar. Por exemplo, se seu cachorro uivar quando está sozinho em casa, pode estar se sentindo solitário. Observe o tom e a frequência:  O tom e a frequência do uivo podem indicar o humor e a intenção do cachorro. Uivos mais longos e melancólicos podem ser um sinal de tristeza ou saudade, enquanto uivos mais agudos e curtos podem indicar alerta ou ansiedade. Observe a linguagem corpo

Animais de estimação!

  Animais de estimação são aqueles que escolhemos para compartilhar nossas vidas e lares. Eles nos trazem alegria, amor e companhia, além de serem excelentes companheiros em momentos de solidão. Os cães são conhecidos por serem leais e protetores, enquanto os gatos são mais independentes e afetuosos. Peixes e aves são ótimos para quem tem pouco espaço em casa, e os répteis podem ser fascinantes para quem gosta de animais exóticos. Um animal de estimação (ou mascote) é um animal doméstico selecionado para o convívio com os seres humanos por questões de companheirismo ou divertimento, o que não significa que essa seja a única função dessas espécies na nossa sociedade. Funções sociais Animais de estimação apresentam diversas funções na sociedade humana, sendo frequentemente citados como formas de se trazer conforto, companhia e aumentar a autoestima das pessoas. A psicologia reconhece que os efeitos benéficos do convívio com animais de estimação são diversos, tanto para adultos bem como p